Uma estratégia para promover o trabalho científico, tecnológico e inovador no gabinete provincial da educação do Huambo, Angola

Autores/as

DOI:

https://doi.org/10.36390/telos231.02

Resumen

O desenvolvimento de qualquer país passa necessariamente pela adopção de políticas que estejam alinhadas às suas necessidades sociais. Neste conjunto de políticas a serem estabelecidas, a área de Ciência, Tecnologia e a Inovação (CT&I), não pode ser esquecida, por se configurar num espaço de especial destaque, sempre que de desenvolvimento se abordar. No presente trabalho abordam-se algumas concepções teóricas sobre a necessidade de se estabelecer uma Estratégia de Ciência, Tecnologia e Inovação exequível e sustentável que possa alavancar estas áreas nas escolas da província do Huambo, República de Angola. Assim sendo, o presente artigo pretende contribuir para literatura científica com o desenho de uma estratégia de CT&I sustentável para a gestão dos processos substantivos do Gabinete Provincial de Educação e das escolas do ensino geral da província do Huambo. Para a elaboração da estratégia, tiveram-se em conta fundamentalmente os documentos normativos como: Assembleia Nacional (2011a), Assembleia Nacional (2011b), Assembleia Nacional (2011c), Assembleia Nacional (2018), MTTI (2019). Do ponto de vista metodológico utilizou-se o método de observação e análise documental, que favoreceu a revisão dos documentos normativos e, por via destes, fundamentar a estratégia. Utilizou-se também a modelação para o desenho da estratégia que se apresenta. Como resultado, obteve-se uma estratégia composta por etapas, acções e objectivos que podem, no entender do autor deste trabalho, pode promover o trabalho científico, tecnológico e inovador deste Gabinete do Huambo e generaliza-los para os demais contextos.

 

Palavras-chave: Estratégia; ciencia; tecnología; inovação; Huambo.

Citas

Aguilar, Marly. (2017). Indicadores de ciencia, tecnología e innovación en Venezuela y su impacto en el desarrollo de políticas públicas. Telos: revista de Estudios Interdisciplinarios en Ciencias Sociales. Volume. 19. Número. 1. Venezuela. (Pp.119-146).

Arnaiz Rey, Anay; Musholovela, José da Silva Alfredo., e González Fernández. (2019). A virtualização no processo de ensino - aprendizagem das ciências exactas. RAC: Revista Angolana de Ciências, Volume 1. Número. 1. Angola. (Pp.117-135).

Artigas, Wileidys; Useche, María Cristina y Queipo, Beatriz. (2017). Sistemas nacionales de ciencia y tecnología de Venezuela y Ecuador. Telos: revista de Estudios Interdisciplinarios en Ciencias Sociales. Volume. 19. Número. 1. Venezuela. (Pp. 168-187).

Assembleia Nacional. (2011a). Decreto Presidencial 196/11, de 11 Julho de 2011. Aprova a Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação. Diário da República I série 130.

Assembleia Nacional. (2011b). Decreto Presidencial 201/11 de 20 Julho. Aprova a Política Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação de Angola. Diário da República I série 137.

Assembleia Nacional. (2011c). Decreto Presidencial 224/11, de 20 Agosto de 2011. Estabelece os Mecanismos de coordenação do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação. Diário da República I série 153.

Assembleia Nacional. (2018). Ministério da Economia e Planeamento. (2018). Plano de Desenvolvimento Nacional 2018-2022. Volume I. MEP. Angola.

Batista Zaldívar, Mario., & Pérez Guerrero, Julio. (2012). Propuesta de una metodología para la gestión de la ciencia y la innovación en una filial universitaria municipal cubana. Revista Cubana De InformacióN En Ciencias De La Salud. Volume 23. Número. 3. Cuba. (Pp. 279-294).

Bettega, Maria Helena. (2004). A educação continuada na Era Digital. Cortez. Brasil

Bokova, Irina (2017). UNESCO: ciência e tecnologia dão respostas para a construção do desenvolvimento sustentável. Disponível: https://nacoesunidas.org/unesco-ciencia-e-tecnologia-dao-respostas-para-a-construcao-do-desenvolvimento-sustentavel/

Bufrem, Leilah Santiago., Silveira, Murilo. e Freitas, Juliana Lazzarotto. (2018). Políticas de ciência, tecnologia e inovação no brasil: panorama histórico e contemporâneo. P2P & Inovação. Volume 5. Número 1. Brasil. (Pp.6-25).

Cardoso, Ermelinda Monteiro Silva. & Flores, Maria Assunção. (2009). A formação inicial de professores em angola: problemas e desafios. Actas do X Congresso Internacional Galego-Português de Psicopedagogia. Braga. Portugal

Chissanguela, Tadeu Calandula. (2015). Perfil do Professor Angolano do Ensino Primário: Contributo para um Estudo Comparativo no Município de Belas - Colégio Pitruca e Escola Pública Pedalé. Dissertação de Mestrado. Universidade de Évora. Portugal.

De Andrade, Jailson Bittencourt e Lopes, Wilson Araújo. (2011). Conectando ciência, tecnologia e inovação. Parcerias Estratégicas. Volume. 16. Número. 32. Brasil. (Pp. 385-401).

Julião, António Luís. (2020). Professores, tecnologias educativas e COVID-19: realidades e desafios em Angola. RAC: Revista Angolana de Ciências. Volume. 2. Número. 2. Angola. (e020205).

Libâneo, José Carlos. (2008). Organização e gestão da escola: teoria e prática. 5. Ed. Revista e ampliada. MF Livros. Brasil

Marconi, Maria de Andrade., e Lakatos, Eva Maria. (2003). Fundamentos de metodologia científica. 5. Edição. Atlas Editora. Brasil.

Martínez Navarro, Marlene., e outros. (2019). Gestión social de la ciencia, tecnología e innovación: Trayectorias y desafíos en la universidad cubana. Editorial Académica Espanhola. Espanha

Martins, Zélia. (2009). As TIC no ensino-aprendizagem da matemática. Actas do X Congresso Internacional Galego-Português de Psicopedagogia. Braga. Portugal.

Ministério das Finanças. (2019). Orçamento geral do estado 2019. Disponível em: https://www.minfin.gov.ao/PortalMinfin/#!/materias-de-realce/orcamento-geral-do-estado/oge-do-ano-corrente

Moreira, Carlos Eduardo. (2002). Formação continuada de professores: entre o improviso e a profissionalização. Insular. Brasil.

MTTI. (2012). Estudos prévios à necessidade de implementação de medidas de desenvolvimento e promoção da indústria nacional do sector das TIC em Angola. Disponível em: http://mediatecas.ao/wp-content/uploads/2012/05/Industria_TIC_Nacional.pdf

MTTI. (2019). Livro Branco das Tecnologias de Informação 2018-2022. Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação. Angola.

National Science Board. (2020). Science and Engineering Indicators 2018.

NSB-2018-1. Alexandria, VA: National Science Foundation. Available at https://www.nsf.gov/statistics/indicators/

Novaes, Hillegonda Maria Dutilh & Carvalheiro, José da Rocha (2007). Ciência, tecnologia e inovação em saúde e desenvolvimento social e qualidade de vida: tese para debate. Ciência & Saúde Coletiva. Volume. 12 (Sup). Brasil. (Pp.1841-1849).

Olarte, William; Botero, Marcela; Cañon, Benhur. (2010). Importancia del mantenimiento industrial dentro de los procesos de producción. Scientia Et Technica, Volume. XVI. Número. 44. Colombia. (Pp.354-356).

Peirats Chacón, José; Sales Arasa, Cristina. (2009). Inquietudes y complicidades en el uso del software de gestión en centros educativos. Education in the Knowledge Society (EKS). Volume. 10. Número. 1. Espanha. (Pp. 76 - 92).

Perucchi, Valmira. (1999). A importância da biblioteca nas escolas públicas municipais de Criciúma- Santa Catarina. Revista ACB: biblioteconomia. Volume. 4, Número. 4. Brasil. (Pp. 80-97).

Ponte, João. Pedro. (2002). As TIC no início da escolaridade: Perspectivas para a formação inicial de professores. In João. Pedro. Ponte (Org.), A formação para a integração das TIC na educação pré-escolar e no 1.º ciclo do ensino básico. Porto Editora. Portugal

Reis, Márcia Lopes. (2001). Processos de inovação e políticas de ciência e tecnologia: um olhar sobre a função social da escola brasileira na contemporaneidade. Sociologias. Volume 6. Brasil. (Pp.52-69).

Rodrigues, Anabela da Conceição Afonso. (2010). A importância da Biblioteca Escolar para a Literacia da Informação. As Bibliotecas Escolares do 2º e 3º ciclos do Distrito de Bragança. Dissertação de Mestrado. Universidade Fernando Pessoa. Portugal.

Sánchez Pacheco, Carlos Luis. (2016). Importancia del software educativo en la gestión académica –administrativa de la unidad educativa Alonso Veloz Malta. Universidad de Guayaquil. Equador

Silva, Eliane de Souza; Enns, Udo; Inowlocki, Márcia Pavelski. (2013). A importância da biblioteca escolar no contexto educacional da escola do campo no município de araucária no estado do Paraná. XI Congresso de educação. EDUCERE. Curitiba. Brasil

Silveira, Rosemari Monteiro Castilho Foggiatto e Bazzo, Walter. (2009). Ciência, tecnologia e suas relações sociais: a percepção de geradores de tecnologia e suas implicações na educação tecnológica. Ciência & Educação. Volume.15. Número. 3. Brasil. (Pp. 681-694).

Sousa, João Baptista Machado. (2016). Impacto das Tecnologias de Informação e Comunicação no Instituto Superior de Ciências da Educação do Huambo, Angola. REFCalE. Volume. 4. Número 3. Equador. (Pp. 71-76).

Valle Lima, Alberto. (2010). La investigación pedagógica otra mirada. ICCP. Cuba

Publicado

2021-01-04

Número

Sección

Artículos